Notícias

Science Stories

É a concretização da nossa missão. Desde a sua criação a Fundação BIAL já aprovou para financiamento 865 projetos, envolvendo mais de 1700 investigadores de 30 países. São três décadas de apoios a Projetos de Investigação Científica orientados para o estudo neurofisiológico e mental do ser humano, nas áreas da Psicofisiologia e da Parapsicologia.

Conheça as histórias por detrás da ciência.

Science Stories

Identificação de molécula envolvida na extinção do medo abre caminho a novas terapias para a ansiedade

Descoberta de mediador responsável pela alteração das memórias de medo pode contribuir para a criação de novas terapias para o tratamento da ansiedade.

Saber mais

Será que a cegueira afeta o modo como avaliamos se uma emoção é autêntica ou fingida?

Resultados indicaram que participantes que se tornaram cegos mais tardiamente tiveram pior desempenho na avaliação da autenticidade emocional.

Saber mais

Experiências subjetivas de morte pessoal induzidas pela Ayahuasca

Investigadores analisaram estudos sobre experiências autorrelatadas relacionadas com a sensação de morte durante cerimónias de ayahuasca.

Saber mais

Poderíamos ter capacidades psíquicas se o nosso cérebro não as inibisse?

Investigação testa novo modelo neurobiológico e conclui que lobos frontais do cérebro funcionam como filtro para suprimir capacidades psíquicas inatas.

Saber mais

O impacto da comunicação pós-morte no luto

Estudo com 70 indivíduos que vivenciaram comunicação pós-morte com parceiros ou cônjuges falecidos revela que a maioria a considerou reconfortante e útil no seu luto.

Saber mais

Praticantes experientes de meditação conseguem desligar voluntariamente a consciência?

Estudo revela que praticantes experientes de meditação conseguem modular voluntariamente o seu estado de consciência durante a meditação.

Saber mais

O que recordamos depois de vermos um filme varia com a idade?

Investigadores avaliaram como jovens adultos e adultos de meia-idade recordam, passado uma semana, informação detalhada de um filme.

Saber mais

A gratidão faz bem ao coração?

Estudo revela que a gratidão pode atenuar as consequências fisiológicas negativas do stress e melhorar globalmente os resultados cardiovasculares.

Saber mais

Pessoas com maior paz de espírito conseguem regular melhor as emoções?

Investigação revela que pessoas com níveis mais elevados de paz de espírito são melhores a regular as suas emoções, em vez de as suprimirem.

Saber mais

News

Fundação BIAL abre candidaturas para Apoios à Investigação Científica

Com o objetivo de incentivar o estudo científico do ser humano, tanto do ponto de vista físico como espiritual, a Fundação BIAL abre um novo concurso de Apoios à Investigação Científica nas áreas da Psicofisiologia e da Parapsicologia.

Saber mais

14º Simpósio “Aquém e Além do Cérebro”: inscrições abertas

Já abriram as inscrições para o 14º Simpósio “Aquém e Além do Cérebro”, que vai debater o tema "Criatividade", entre 3 e 6 de abril, no Porto.

Saber mais

Efeitos de uma intervenção mindfulness online

No âmbito do projeto de investigação 104/18 - Effect of mindfulness on EEG brain activity for cognitive and psychological well-being in the elderly, liderado por Samantha Galluzzi, a equipa de investigação visou avaliar os resultados cognitivos, psicológicos e fisiológicos, a curto e longo prazo, de uma intervenção baseada em mindfulness (MBI) de 8 semanas, adaptada para videoconferência em direto, num grupo de idosos saudáveis. Os resultados, publicados na revista científica BMC Geriatrics, no artigo Cognitive, psychological, and physiological effects of a web-based mindfulness intervention in older adults during the COVID-19 pandemic: an open study indicam que os participantes melhoraram em vários domínios, incluindo memória verbal, atenção alternada e funções executivas, consciência interoceptiva e ruminação entre o antes e o depois do MBI e no follow-up de 6 meses (T6). De notar que as mudanças mais significativas, com tamanhos de efeito médios, foram observadas na memória verbal imediata e na autorregulação na consciência interoceptiva, e estas melhorias mantiveram-se em T6. Além disso, o estudo revelou alterações na modulação da atividade alfa1 e alfa2 do EEG, que se correlacionaram com melhorias na atenção alternada, função executiva e ruminação.

Saber mais

Será que a autossugestão modula a nossa realidade?

A autossugestão postula que os indivíduos podem influenciar os seus próprios estados mentais e fisiológicos através da repetição de um pensamento, a chamada sugestão. A equipa de investigação liderada por Elena Azañón testou se a autossugestão pode alterar a perceção somatossensorial dos participantes num dedo. Em três experiências independentes, os participantes foram solicitados a modular a intensidade percebida de estímulos vibrotáteis na ponta do dedo através da autossugestão de que essa perceção parece muito forte (Experiência 1, n = 19) ou muito fraca (Experiências 2, n = 38, e 3, n = 20), enquanto eram solicitados a relatar a frequência percebida. Curiosamente, um aumento na intensidade dos estímulos vibrotáteis, mantendo a frequência constante, pode levar a um aumento ou a uma diminuição na sua frequência percebida. Embora a direção desse efeito seja diferente entre as pessoas, ele é geralmente constante dentro de um indivíduo e pode, portanto, ser usado para testar o efeito da autossugestão num desenho intra-sujeitos. Observou-se que a tarefa de alterar a intensidade percebida de um estímulo tátil por meio da autossugestão modula a perceção da frequência tátil. Este estudo foi desenvolvido no âmbito do projeto de investigação 296/18 - The power of mind: Altering cutaneous sensations by autosuggestion, apoiado pela Fundação BIAL, e publicado na revista científica Scientific Reports, no artigo How the inner repetition of a desired perception changes actual tactile perception.

Saber mais

Diferenças interindividuais na extinção do medo

No âmbito do projeto de investigação 85/18 - Role of NT3/TrkC in the regulation of fear, apoiado pela Fundação BIAL, Mónica Santos e colaboradores, com recurso a um modelo comportamental de extinção do medo, avaliaram ratinhos que extinguiram com sucesso o medo e aqueles que falharam. As diferenças interindividuais na capacidade de extinguir o medo têm um duplo resultado: primeiro na definição da vulnerabilidade para desenvolver ansiedade e perturbações relacionadas com o medo, e segundo, na determinação da eficácia da terapia de exposição para pacientes com estas perturbações. Efetivamente, os mecanismos de extinção do medo que estão na base das terapias de exposição estão frequentemente comprometidos em pacientes com perturbações relacionadas com o medo. A formação de memórias de medo e a sua extinção depende de eventos de plasticidade sináptica que ocorrem nos microcircuitos de medo e extinção da amígdala. Com recurso ao modelo referido, a equipa identificou o papel crucial do sistema NT3-TrkC na extinção do medo através da modulação da composição NMDAR da amígdala e da plasticidade sináptica. Este estudo valida a via TrkC como um potencial alvo terapêutico para indivíduos com doenças relacionadas com o medo, e revela que a combinação de terapias de exposição com fármacos que potenciam a plasticidade sináptica pode representar uma forma mais eficaz e duradoura para o tratamento de perturbações de ansiedade. Mais informações disponíveis no artigo The amygdala NT3-TrkC pathway underlies inter-individual differences in fear extinction and related synaptic plasticity publicado na revista científica Molecular Psychiatry.

Saber mais

O papel da oxitocina (OT) na cognição humana

No âmbito do projeto de investigação 292/16 - Oxytocin: On the psychophysiology of trust and cooperation, apoiado pela Fundação BIAL, a equipa de investigação coordenada por Diana Prata conduziu um estudo duplo cego, com dois grupos: placebo e experimental (administração intranasal controlada de oxitocina), ambos avaliados com recurso ao EEG, com o objetivo de testar se a OT intranasal afeta o tempo de processamento neural de atribuição de saliência a estímulos sociais (expressando medo) e estímulos não sociais (frutas), tornados relevantes através da probabilidade de reforço monetário. Os principais destaques do estudo foram: a OT intranasal afetou os potenciais evocados por eventos (em inglês: event-related potentials, ERPs) iniciais, independentemente do contexto social (temeroso) ou contexto de recompensa; O papel da OT na atribuição inicial de saliência aos estímulos de medo pode ser independente da parte social/recompensadora; apoio parcial do modelo trifásico de OT, que postula que a OT aumenta de atribuição de saliência a um estímulo numa fase inicial, independentemente do seu caracter social (ou não). Para saber mais, consulte o artigo Oxytocin modulates neural activity during early perceptual salience attribution publicado na revista científica Psychoneuroendocrinology.

Saber mais

A perceção do movimento visual

As interações diárias com o contexto exigem uma estimativa correta das velocidades de movimento do próprio e do objeto. A perceção da velocidade de movimento do objeto é essencial para abordá-lo ou evitá-lo adequadamente. Em muitas circunstâncias, a perceção do movimento do objeto é complexificada pelo movimento próprio concomitante. Um dos principais desafios para o sistema visual é determinar a fonte do movimento que gera o padrão de fluxo: movimento do próprio, movimento do objeto ou a sua combinação. Neste enquadramento, a equipa de investigação liderada por Valentina Sulpizio teve como objetivo estabelecer (1) a sensibilidade de várias regiões corticais relacionadas com o movimento (regiões de automovimento) a diferentes condições de movimento induzidas visualmente, incluindo deslocamentos do próprio e de objetos e uma combinação destes; e (2) se a atividade dessas regiões foi afetada pela velocidade do movimento do próprio e do objeto, fornecendo assim uma nova visão sobre seu papel na discriminação entre diferentes velocidades de movimento do próprio e do objeto. Um perfil diferenciado emergiu entre as regiões de automovimento (área visual do sulco cingulado, área do sulco cingulado posterior, córtex insular posterior [CIP], V6+, V3A, IPSmot/VIP e MT+). Todas as regiões de automovimento (exceto a área CIP) responderam a todas as combinações possíveis de movimento do próprio e do objeto e foram ainda moduladas pela velocidade de movimento do próprio. Curiosamente, apenas MT+, V6+ e V3A foram ainda modulados pelas velocidades de movimento do objeto, refletindo assim seu possível papel na discriminação entre velocidades distintas de movimento do próprio e do objeto. Estes resultados são detalhados no artigo Neural sensitivity to translational self- and object-motion velocities publicado na revista científica Human Brain Mapping, no âmbito do projeto 24/20 - World-relative object motion: How the brain detects object motion while we are moving, apoiado pela Fundação BIAL.

Saber mais

Luís Portela recebe Prémio Universidade de Lisboa

Prémio atribuído em reconhecimento do “impacto social, a personalidade inovadora, o empreendedorismo singular e a liderança visionária".

Saber mais

BIAL Award in Biomedicine 2023 distingue investigação pioneira sobre cancro do cérebro

Uma equipa liderada por investigadores da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, venceu o BIAL Award in Biomedicine com um trabalho focado na neurociência do cancro.

Saber mais

Looking for collaboration

The quest of physiological markers for the experience of pain

Researcher: Elia Valentini - Department of Psychology & Centre for Brain Science, University of Essex Summary: The aim of this project is to improve measurement of the human experience of pain by investigating a combination of psychophysical and physiological responses during mild noxious stimulation. More specifically, we want to investigate how sensitive and specific to pain the brain oscillatory responses are. We use EEG as the main technique, but we are keen to collaborate with neuroscientists using fMRI, autonomic measures and brain stimulation as well as with computational neuroscientists. A clinical collaborator would also be very much welcome.

Saber mais

EEG investigation of hypnosis and decision-making

Researcher: Rinaldo Livio Perri - University Niccolò Cusano Rome, Italy Summary: I work in the field of hypnosis and cognitive neuroscience. In particular, I adopt the event-related potentials (ERPs) to investigate the effect of the hypnotic suggestions on sensory processing and cognitive performance. I am an expert in decision-making and proactive brain processes before the stimulus administration (e.g., the perceptual, prefrontal and premotor readiness during the expectancy stage). I could help colleagues to properly analyze the ERP signal in the pre-stimulus stage of processing. Also, I would be happy to share my EEG data for re-analyzing them in the frequency domain (e.g., wavelet or coherence analysis in the hypnosis research). Feel free to contact me for any question! More information on my papers: https://scholar.google.it/citations?user=-8e_V64AAAAJ&hl=it Possible collaborations: neuroscientist with experience in the EEG frequency analysis Email: perri.rinaldo@gmail.com

Saber mais

Transparent Psi Project - looking for collaborators

Summary: We are running a fully transparent, expert consensus-base multilab replication of Bem’s (2011) experiment 1. The project features state of the art methods to maximize transparency and study integrity. The study involves a computerized experiment taking about 20 minutes per session. Group testing is possible in a computer lab, no specialized equipment needed. Labs are expected to recruit at least 100 participants. Participants will be exposed to images with explicit erotic/sexual content in the experiment. No financial compensation is required for the participants. Data collection is expected to take place in the 2020 fall semester. Every material is provided for ethics/IRB submissions and data collection in English (translation of materials might be necessary by the collaborators). The study is pre-registered and the manuscript is accepted in principle for publication in the journal Royal Society Open Science. All collaborators who meet the minimum sample size criterion will get authorship on this paper reporting the results of the replication study. More information in the preprint: https://psyarxiv.com/uwk7y/ Indicate interest in the collaboration via the following form: https://tinyurl.com/tpp-labs With any question contact the lead investigator: Dr. Zoltan Kekecs, kekecs.zoltan@gmail.com

Saber mais

Cognitive control and learning

Researcher: Ignacio Obeso, Ph.D. / CINAC - HM Puerta del Sur Summary: The aim of our projects is to understand the behavioral and neural mechanisms used to learn how humans establish adaptive behaviour in changing contexts. More specifically, we want to decipher how stopping abilities are initially learned and later executed under automatic control. We use task-related fMRI, brain stimulation and clinical models to test our predictions in laboratory settings as well as online home-based paradigms. Possible collaborations: computational scientist Email contact: i.obesomartin@gmail.com https://iobesomartin.wixsite.com/cognitivecontrol

Saber mais