Prémio Maria de Sousa 2024

Candidaturas abertas até 31 de maio
Ver mais

Apoios à Investigação Científica 2024/2025

Candidaturas abertas até 31 de agosto
Ver mais

Prémio BIAL de Medicina Clínica 2024

Candidaturas abertas até 31 de agosto
Ver mais

Fundação BIAL

Há 30 anos a distinguir e apoiar os que procuram avançar na ciência e no conhecimento em Portugal e no mundo.
Ver mais

Últimas Novidades

Não perca os nossos Destaques e Science Stories
Ver mais



Sobre nós

Ver mais



Prémios

Ver mais



Apoios

Ver mais



Simpósios

Ver mais

Notícias

Notícias

A gratidão pode proteger-nos dos efeitos negativos do stress?

Investigadores concluem que a gratidão tem um efeito único de proteção do nosso organismo, tanto na reação, como na recuperação do stress psicológico agudo.

Saber mais

As flutuações de humor impactam na confiança quando tomamos decisões?

Estudo revela que na população adulta saudável as flutuações de humor não interferem com a confiança na tomada de decisões.

Saber mais

Relação entre bruxismo do sono, insónia e ansiedade

Investigadores concluíram que o bruxismo do sono não tem associação direta com a insónia, mas a ansiedade pode ser fator de ligação entre estes distúrbios.

Saber mais

Notícias

Pode o cérebro atuar como um filtro inibitório das capacidades psíquicas?

O modelo neurobiológico de Morris Freedman sugere que os lobos frontais do cérebro atuam como um filtro para inibir as capacidades psíquicas (ex.: telepatia, clarividência, precognição, interação mente-matéria, etc.) e implica que os humanos possam ter capacidades psíquicas inatas que são suprimidas por esse filtro. Para testar este modelo, a equipa do projeto de investigação 210/18 - Mind-matter Interactions and the Frontal Lobes of the Brain, apoiado pela Fundação BIAL, utilizou a estimulação magnética transcraniana repetitiva (EMTr) para induzir lesões cerebrais reversíveis na região frontal medial esquerda em participantes saudáveis. Os dados confirmaram a hipótese inicial, ou seja, participantes saudáveis com lesões reversíveis induzidas por EMTr afetando a região frontal média esquerda do cérebro mostraram efeitos superiores numa tarefa de interação mente-matéria em comparação com participantes saudáveis sem lesões induzidas por EMTr. Estes resultados apoiam a premissa de que o cérebro serve como um filtro para bloquear os efeitos psíquicos e podem ajudar a explicar porque é que estes efeitos são tão pequenos e difíceis de replicar em participantes saudáveis. Para saber mais sobre o estudo, leia o artigo Enhanced mind-matter interactions following rTMS induced frontal lobe inhibition, publicado na revista científica Cortex.

Saber mais

Podem as sensações de contacto com um falecido ajudar no processo de luto?

Em todas as sociedades, é provável que 30 a 34% dos indivíduos experimentem pelo menos uma comunicação pós-morte (em inglês, after-death communication ou ADC) durante a sua vida. A ADC é definida como um fenômeno espontâneo no qual um indivíduo vivo tem a sensação de contacto direto com uma pessoa falecida. Uma ADC pode manifestar-se de diversas formas, tais como sentir a presença da pessoa falecida através do olfato, da visão, da audição ou até do toque; experiências simbólicas (tocar uma música no rádio, flores desabrochando fora da estação, etc.); experiências eletrónicas (receber um telefonema, um “gosto” no Facebook ou um e-mail do falecido, anomalias informáticas, etc.); visitas ou mensagens em sonhos. As ADCs ocorrem em diferentes culturas, raças, idade, estatuto socioeconómico, nível de escolaridade, género e crenças religiosas. No âmbito do projeto 169/20 - Investigation of the Phenomenology and Impact of Spontaneous and Direct After-Death Communications (ADCs), apoiado pela Fundação BIAL, a equipa de investigação explorou o impacto das ADCs no luto, envolvendo 70 indivíduos que vivenciaram ADCs com parceiros ou cônjuges falecidos. A maioria considerou as ADCs reconfortantes (81%) e úteis no seu luto (84%). Para 49% dos participantes, as ADCs pareceram facilitar a aceitação da perda e 42% confirmaram uma recuperação mais célere devido à ADC. As implicações destes resultados são discutidas no artigo Description and impact of encounters with deceased partners or spouses publicados na revista científica OMEGA - Journal of Death and Dying.

Saber mais

Ordem dos Médicos e Fundação BIAL entregam 3ª edição do Prémio Maria de Sousa

A cerimónia de entrega da terceira edição do Prémio Maria de Sousa decorreu no dia 16 de novembro no Teatro Thalia, em Lisboa, e contou com a presença da Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato, a presidir à sessão, da Secretária de Estado da Promoção da Saúde, Margarida Tavares, e do Secretário de Estado do Ensino Superior, Pedro Teixeira. Os cinco vencedores, todos jovens investigadores em ciências da saúde, são Inês Alves (i3S, U.Porto), Nuno Dinis Alves (ICVS, U.Minho), Catarina Palma dos Reis (CHULC - Maternidade Dr. Alfredo da Costa, Lisboa), João Neto (i3S, U.Porto) e Sara Calafate (ICVS, U.Minho).

Saber mais